Entenda a divisão por ondas nas novas regras do Minas Consciente

EM DIREITA 04/08/2020 Relatar Quero comentar

A revisão do plano Minas Consciente, que prevê a retomada segura e responsável da economia, busca simplificar as orientações do Estado e adequá-las à realidade dos municípios. 

Para isso, o Governo de Minas reorganizou a divisão em ondas, que mostra qual o momento indicado para a abertura de cada tipo de comércio e de atividade econômica.

Com as novas regras, o plano Minas Consciente passa a ter três ondas: 

Onda 1 - vermelha - serviços essenciais

- Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência, bares (somente para delivery ou retirada no balcão), açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, serviços de ambulantes de alimentação, farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop, bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito, vigilância e segurança privada, serviços de reparo e manutenção, lojas de informática e aparelhos de comunicação, hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões, construção civil e obras de infraestrutura, comércio de veículos, peças e acessórios automotores. 

Onda 2 - amarela - serviços não essenciais

- Bares (consumo no local), autoescola e cursos de pilotagem, salão de beleza e atividades de estética, comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo, papelaria, lojas de livros, discos e revistas, lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem, comércio de itens de cama, mesa e banho, lojas de móveis e lustres, imobiliárias, lojas de departamento e duty free, lojas de brinquedos. 

  Onda 3 - verde - serviços não essenciais com alto índice de contágio

- Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo, academias e demais atividades de condicionamento físico, cinemas, bibliotecas, museus, arquivos, parques, zoológicos e jardins, clubes, feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê, parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca, bares com entretenimento (shows e espetáculos), serviços de colocação de piercings e tatuagens. 

Governador Valadares 

De acordo com o Decreto 11.207, publicado na sexta-feira (31) de julho, a Prefeitura de Governador Valadares informou que devido à determinação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), foram obrigados a aderir ao Programa Minas Consciente, do governo do Estado. Desta forma, grande parte do comércio e serviços não poderão funcionar em Valadares. 

Durante a coletiva, o Prefeito André Merlo destacou todo o empenho do município em garantir um atendimento hospitalar de qualidade aos valadarenses e também à população dos mais de 50 municípios que compõem a macrorregião e lamentou o fechamento de setores da economia. 

Ainda disse que a cidade está na onda vermelha, apenas o funcionamento de serviços essenciais. 

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário