Justiça suspende venda de sabão em pó que promete ‘eliminar vírus’

Yasmim 18/06/2020 Relatar 我要评论

Um determinação da Justiça de São Paulo, para proibir a venda de uma marca de sabão em pó, surpreendeu o consumidor , principalmente a empresa fabricante.

A decisão da  2ª Vara Empresarial e de Conflitos Relacionados à Arbitragem, foi no dia 11/06, suspendendo a venda do sabão em pó da marca Tixan-Ypê, produzido pela Química Amparo Ltda.

O motivo da ordem de retirar o sabão em pó das lojas que trabalham com esse segmento de produto, foi por dar a entender, segundo a Justiça, que o Tixan-Ypê, seria eficaz contra o novo coronavírus.

Segundo estudos realizados sobre higienização de superfícies, apenas metade dos germes são eliminados.

A empresa responsável por ter movido a ação na Justiça, alegando concorrência desleal, foi a fabricante do sabão Omo, a Unilever, que é rival da marca Tixan-Ypê, por estar sugerindo informação não comprovada, com uma parte do texto que diz; “combate e mata o vírus”.

“Toda e qualquer pessoa, menos ou mais esclarecida, exceto um especialista em vírus, ao avistar a embalagem nas gôndolas dos supermercados, imediatamente fará associação da propaganda ao combate do coronavírus. Não vejo como não vincular a figura de um vírus e a expressão ‘o vírus’ a outra coisa que não seja o coronavírus SARS-CoV-2”, destacou a juíza Renata Mota Maciel. e prosseguiu;

“A publicidade veiculada pela requerida, ao menos em tese, tem potencial de causar prejuízo aos concorrentes e, o que é ainda mais sério, pode induzir o consumidor a acreditar que o lava-roupas apresenta especialidade que não está demonstrada, ao menos até o momento, quando comparado aos demais produtos da mesma natureza”.

A empresa fabricante do sabão em pó Tixan-Ypê, alegou que se referiu a outros tipos de vírus, não ao Covid-19. De qualquer modo, a empresa não poderá mais fazer a propaganda com esse tipo de informação, caso descumpra, será multada com valor de R$ 50 mil por dia.

Clique na segunda página para continuar navegando
用户评论
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.