Jovem de 28 anos que teve coronavírus relata sequela: “Síndrome da fadiga crônica, depois de 12 semanas ainda me sinto se forças”

Matérias Oficiais(+10% Clicks) Yasmim 23/06/2020 Relatar Quero comentar

Jovem de 28 anos que teve coronavírus relata sequela: “Síndrome da fadiga crônica, depois de 12 semanas ainda me sinto se forças”

Está sendo comum as consequências do vírus nos pacientes que sobrevivem ao coronavírus.

Segundo uma entrevista realizada com os pacientes que se recuperaram da covid-19, o vírus traz sequelas, é um período muito lento a recuperação para pacientes que tiveram a covid-19, durante várias semanas mostram sintomas no corpo.

callum O “dwyer um escocês de 28 anos contou que 12 semanas após os primeiros sintomas da covid-19, segue passando mal de acordo com o Callum, antes de ser infectado pelo coronavírus ele tinha plena saúde, não sentia nenhum mal, nem cansaço, não tinha nenhuma doença pré-existente, mas depois que contraiu a covid-19, passou cinco semanas com os sintomas da doença.

A partir de então, ele não teve mais condições de morar sozinho, precisou voltar para casa dos pais, a sua recuperação demorou muito além do que imaginava, os sintomas permaneceram, as dores a falta de ar, falta de apetite permaneceu por muito tempo após ser diagnosticado com coronavírus.

Com todos esses sintomas não podia morar sozinho e nem mesmo trabalhar, segundo os médicos esse sintoma é fadiga crônica, também conhecida como encefalomielite miálgica.

Está sendo comum as consequências do vírus nos pacientes que sobrevivem ao coronavírus, permanecem tendo os mesmos sintomas por um período longo, de acordo com os médicos essa Síndrome da Fadiga Crônica, debilita o paciente e com o passar dos dias ele sente vários sintomas e um deles é a fadiga.

Comentário do usuário