WhatsApp lança envio de dinheiro pelo aplicativo; Saiba como funciona

Alisson Lima Tutoriais 15/06/2020 Relatar Quero comentar

A partir desta segunda-feira, 15, o  WhatsApp vai permitir que os usuários paguem por produtos de empresas e enviem dinheiro a conhecidos pela plataforma. O Brasil é o primeiro país com acesso ao novo recurso.

A princípio, serão permitidos apenas os cartões de instituições como o ,  e , tanto nas versões débito ou crédito e nas bandeiras Visa ou Mastercard. O processamento das transações ficará sob responsabilidade da Cielo.

Lançamento

O novo recurso do WhatsApp começa a ser liberado hoje a um grupo de pessoas por meio de uma atualização do software. O acesso aos demais usuários deve acontecer no decorrer das próximas semanas.

A novidade será incluída no menu de ações do aplicativo, encontrado no sinal de “+” em iPhones e no clipe, caso o dispositivo seja um Android.

O lançamento dará contornos mais definidos ao que pode ser a primeira fonte de receita do WhatsApp. Isso porque o recurso de pagamentos atingirá todos os aplicativos sob o domínio de Mark Zuckerberg, como o Facebook e o Instagram.

Como funcionará?

Interessados em enviar ou receber dinheiro e pagar por produtos pelo WhatsApp terão de informar um cartão de crédito ou débito válido de um dos bancos parceiros durante o cadastro.

Para começar a utilizar a ferramenta, o usuário deve concordar com os termos de pagamento e política do aplicativo e da responsável pelo processamento das transações, nesse caso a Cielo.

Em seguida, é necessário criar uma senha numérica para o Facebook Pay – são aceitas impressões digitais. O envio do dinheiro entre pessoas será gratuito. Para evitar que a função seja utilizada por empresas, algumas restrições foram definidas:

Serão aceitos valores de até R$ 1 mil por transação; Para as transações, apenas cartões de débito serão aceitos; O limite de repasses será de R$ 5 mil por mês; Uma pessoa poderá receber até 20 transações por dia.

As regras de utilização da nova função incluem a cobrança de uma taxa de 3,99% sobre o valor das transações de empresários. Para esse grupo, as operações devem ser realizadas por meio da ferramenta WhatsApp Business.

Além disso, as transferências voltadas às pessoas não podem ser feitas por menores de idade, por empresas ou relacionadas à atividades ilícitas.

Comentário do usuário