Mãe de Miguel vai até delegacia em dia depoimento da ex-patroa: 'Tinha que vir'

Filomena 30/06/2020 Relatar Quero comentar

A mãe do menino Miguel Otávio, de 5 anos, morto após cair do nono andar do edifício, foi até a porta da delegacia de Santo Amaro, no Centro de Recife, na manhã desta segunda-feira, onde a ex-patroa Sari Corte Real presta depoimento. À espera da primeira-dama de Tamandaré, Mirtes Renata de Souza diz que precisava ir até o local para "para dizer uma verdade na cara dela", segundo o G1.

"Ontem passei o dia muito mal. A saudade do meu filho apertou tanto. Arrumar aquela casa não faz mais sentido porque não tem meu filho pra bagunçar", disse Mirtes.

Mirtes chegou acompanhada do cunhado por volta das 8h20. Duas irmãs da mãe de Mguel também compareceram ao local.

"A gente já viria hoje fazer um ato para tentar mudar o homicídio de culposo para doloso. Não sabíamos que ela viria. Como pode o delegado chegar tão cedo para atender uma pessoa. É revoltante. Além da perda, ainda tem a sensação de injustiça", disse Fabiana Souza, tia de Miguel.

Após ver as imagens do circuito interno de segurança do edifício em que trabalhava, Mirtes diz que a ex-patroa mentiu sobre a versão da morte de Miguel.

"Ela mentiu pra mim dentro do hospital. Depois do enterro do meu filho, me mandaram os vídeos. Eu entrei em choque."

Sari chegou na Delegacia de Santo Amaro por volta das 5h50 para prestar depoimento. O local, normalmente, abre às 8h para atendimento.

"Ela está com medo de quê, que não pode esperar a delegacia abrir, como todos os outros esperam? Todo mundo espera a delegacia abrir para resolver alguma coisa", afirmou a empregada Mirtes Renata de Souza.

 Antes da tragédia, a criança estava sob os cuidados da primeira-dama Sari Corte Real enquanto Mirtes passeava com o cachorro dos ex-patrões. Imagens de câmeras de segurança mostram que Sari permitiu que Miguel ficasse sozinho no elevador do prédio e chegou a apertar um botão no alto do painel antes da porta fechar. Sari foi presa em flagrante e liberada após pagar um fiança de R$ 20 mil. A princípio, segundo a Polícia Civil, ela vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

No início do mês, Mirtes divulgou uma carta destinada à ex-patroa Sari Corte Real na qual revela não aceitar o pedido de desculpas da primeira-dama de Tamandaré. Mirtes defende uma punição para Sari e diz que as desculpas dela foram feitas para a imprensa, não para a família de Miguel. Na carta, Mirtes pede por Justiça e diz que precisa que "alguém assuma a minha dor, lute minha luta, seja o destilado da cólera que eu não quero e nem posso ser. Eu não tenho forças neste momento, não tenho chão. Não tenho vida!".

Comentário do usuário