Família de Tom Petty processa Trump por uso indevido de música em comício

Matérias Oficiais(+10% Clicks) Amélia 22/06/2020 Relatar Quero comentar

A família cantor e compositor Tom Petty, morto em 2017, acionou a campanha de Donald Trump, que tenta se reeleger presidente dos EUA, pelo uso não autorizado de uma música no comício realizado ontem em Tulsa. Foi enviada uma ordem para que a música "I Won't Back Down" não seja mais usada em nenhuma atividade da campanha, sob pena de ação judicial.

"Trump não estava autorizado a usar essa música para promover uma campanha que deixa muitos americanos e o bom senso para trás", diz o comunicado (veja abaixo) assinado pelas filhas do cantor, Adria e Annakim, a viúva Dana e a ex-esposa de Petty, Jane.

Elas ainda afirmaram que "se posicionam firmemente contra o racismo e a discriminação" e "acreditam na América e na democracia, mas Donald Trump não representa os ideais nobres de nenhuma delas".

Trump realizou o primeiro evento com público de sua campanha para a reeleição na Casa Branca depois de três meses de paralisação devido ao coronavírus. O evento gerou polêmica por reunir um grande número de pessoas em local fechado em meio à pandemia.

Rihanna, Aerosmith, Elton John, Adele e Queen são alguns dos artistas que já criticaram Trump por usar suas músicas em eventos políticos.

Essa não é a primeira vez que o hit de Petty é usada por um republicano. Ele ameaçou o ex-presidente George W. Bush por usar a música em seus comícios. Em 2012, Obama também usou, dessa vez, com autorização do cantor.

"I Won't Back Down" está no disco "Full Moon Fever", de 1989, o primeiro álbum solo do cantor, e é um dos grandes hits da carreira de Petty.

Comentário do usuário