'Trump é presidente errado para EUA', diz Michelle Obama, em ataque inédito

Matérias Oficiais(+10% Clicks) Amélia 18/08/2020 Relatar Quero comentar

A ex-primeira-dama Michelle Obama mandou bala de forma inédita numa campanha eleitoral americana. "Donald Trump é o presidente errado para o nosso país", disse, ao discursar em defesa da eleição do democrata Joe Biden na abertura da Convenção Nacional Democrata, na noite desta segunda.

Nos EUA, ex-presidentes não têm o hábito de criticar os antecessores. Tampouco ex-primeiras-damas. Mas Michelle Obama, com alta popularidade entre os americanos, fez um duríssimo discurso contra Trump.

Lembrou que ele divide o país, perdeu no voto popular em 2016 e não está à altura do cargo. Após dizer que Trump era o presidente errado para os EUA, Michelle afirmou que "ele teve todo o tempo para provar que poderia fazer o trabalho", mas essa missão estaria além da capacidade do republicano. "Se temos alguma esperança de acabar com esse caos, temos de votar por Biden como se nossa vida dependesse disso."

"Ele [Trump] não está à altura do momento. Ele simplesmente não consegue ser o que precisamos que fosse por nós. É o que é", disse a ex-primeira-dama. Segundo ela, "o que está acontecendo neste país não é correto, não é o que a gente quer ser". Michelle alertou os americanos sobre o risco de reeleger Trump: "Se você pensa que as coisas não podem piorar, confie em mim. Elas podem e vão piorar, se nós não fizermos uma mudança nesta eleição".

"Ser presidente não muda o que você é. Revela o que você é", afirmou Michelle. Ela disse que solução não seria baixar o nível, mas elevá-lo ("go high", em inglês). Ela pediu que os eleitores votassem como fizeram em 2008 e 2012 ao eleger seu marido, Barack. Fez apelo para que a base democrata vote de modo antecipado, vote por correio e vote no dia das eleições, em 3 de novembro. Como votar é facultativo nos EUA, mobilizar eleitores é fundamental para vencer.

Michelle mencionou tragédias pessoais que marcaram a vida de Joe Biden, como a perda da primeira mulher e de dois filhos. Disse que Biden tem uma vida que o habilita a ser presidente, inclusive por não ser perfeito e admitir isso. Na imprensa americana, analistas se surpreenderam com o tom de Michelle. Wolf Blitzer, veterano da CNN, disse que nunca viu uma ex-primeira-dama bater tão duro num presidente em exercício.

Divisão do país

Além da força do discurso da ex-primeira-dama, a abertura da Convenção Nacional Democrata apostou em outras duas armas: o depoimento de uma filha, Kristin Urquiza, que perdeu o pai para a covid-19 porque ele acreditou nas mentiras que o presidente falava do coronavírus, e a estratégia de carimbar o atual presidente como alguém que divide o país. Essa tarefa ficou a cargo de republicanos, o que deu credibilidade ao ataque. O respeitado ex-governador de Ohio John Kasich, que é republicano, deu o seu recado junto com simples eleitores do partido.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário