Funcionária envolvida em polêmica com Romero Britto em restaurante diz: 'Me senti humilhada'

Filomena 20/08/2020 Relatar Quero comentar

Uma das empregadas do restaurante da venezuelana Madeleine Sánchez, empresária que quebrou uma obra de Romero Britto, na galeria do artista em Miami, nos Estados Unidos, relembrou o caso que aconteceu há três anos. Patrícia participou junto com sua patroa do programa "Despierta America", do canal de TV  hispânico "Univision", nesta segunda-feira, dia 17, e afirmou que nunca havia sido tão humilhada como garçonete, apesar de trabalhar há anos no segmento e ter atendido clientes diversificados.

Tatuagem:

Durante a entrevista de Madeleine à emissora, o apresentador Raúl González chamou Patrícia e disse que ela era uma das funcionárias que estava no dia do incidente com Romero Britto no restaurante "Olé Olé and Tapelia". A garçonete explicou que todos estavam emocionados de vê-lo ali no restaurante, mas que se sentiram humilhados pela forma como foram tratados.

"Eu estava muito emocionada de vê-lo, muito impactada. Ele sentiu num lugar, pediu que só fôssemos quando ele chamasse, nos mandou não olhar nos olhos dele e mandou abaixar a música. Mas me senti humilhada. Estou há muito anos trabalhando nesse ramo, há clientes de todos os tipos. Esse dia me humilharam muito, porque eu vim aqui para trabalhar, nós viemos e não merecemos esse trato. Foi humilhante, eu me senti mal. Aqui somos todos uma família. O que ela (Madeleine) fez foi ir lá e defender os seus empregados", disse Patrícia à emissora.

Madeleine chegou no restaurante logo após Britto ter deixado o local e viu a funcionária chorando e outros funcionários consternados. Ao saber das atitudes do artista plástico brasileiro, a empresária foi até a galeria dele, localizada em frente ao restaurante, reclamou e levou uma escultura do pernambucano, que foi dada à ela de presente pelo marido.Sem controlar a sua raiva, a venezuelana quebrou a maçã, avaliada em US$ 5 mil (cerca de R$ 26 mil), ao jogá-la no chão.

“Não me importo com dinheiro, me importo com a dignidade dos meus funcionários. Eu o admirava, meu marido tinha me dado aquela escultura no meu aniversário. Mas sempre que ele vinha ao restaurante, ele tinha um problema, ele sempre fazia uma coisa desagradável. Mas naquele dia, o meu copo transbordou. Ele trouxe à tona o que há de pior em mim", afirmou ao programa. "Nesse momento, não pensei em nada. Não me senti louca (por quebrar uma obra de US$ 5 mil).

Desabafo:

Empresária não se arrepende

Segundo a empresária, no dia que tudo aconteceu, ela chegou ao estabelecimento e seus funcionários choravam por causa dos supostos maus-tratos que a artista. Conforme seu relato, Romero Brito teria "pedido para que não se virassem para olhar para ele, não se aproximassem a menos que ele se levantasse a mão e pediu para abaixar a música", entre outros detalhes.

Comentário do usuário