Jornalista paraense demitida da Globo diz que tem provas de assédio

Sorriso 26/07/2020 Relatar Quero comentar

Demitida pela afiliada da Globo em Roraima há poucos dias, Ellen Ferreira reforçou a acusação de assédio que diz ter sofrido de seu antigo chefe, o ex-diretor de Jornalismo da Rede Amazônica Edilson Castro. "Ele me adoeceu. Tudo isso o Sindicato dos Jornalistas e o Ministério Público do Trabalho já têm ciência, há provas e testemunhas", declarou a jornalista nas redes sociais.

Em seu perfil no Facebook e no Instagram, a ex-apresentadora do Bom Dia Amazônia compartilhou a entrevista de Castro a um portal de notícias local em que ele a acusa de ter começado uma "campanha difamatória" contra ele, além de declarar que a ex-colega ficou arrogante após entrar no rodízio de âncoras do Jornal Nacional no ano passado. 

"[É um] Verdadeiro linchamento a que estou sendo submetido. A ida à bancada do Jornal Nacional potencializou sua arrogância e agressividade, que culminaram, recentemente, em sua demissão", acusou o jornalista que chefiava a afiliada até junho de 2019. 

Para se defender, Ellen declarou que sempre foi humilde. "Vejam que ele diz que sou arrogante e que pelo JN mudei minha postura. Eu nunca mudei. Eu sempre fui simples e longe de ego e vaidades. Sempre reforcei que fui lá, mas na emissora tem pessoas que teriam competência de sobra para apresentar", começou ela. 

Em seguida, a comunicadora avisou que não foi a única vítima e que reuniu acusações de outras supostas vítimas de Castro. "Tenho mais relatos de outros estados onde ele passou. Muito triste o que esse homem fez na minha vida. Mas eu vou vencer. Deus na frente. Sempre", finalizou a ex-Globo. 

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.