Um dos últimos inferninhos do Rio, boate Barbarella anuncia fim das atividades

Filomena 29/06/2020 Relatar Quero comentar

A tradicional boate Barbarella Boite, em Copacabana, Zona Sul do Rio, anunciou o encerramento definitivo das atividades após 44 anos em funcionamento. A decisão foi antecipada na coluna de Ancemo Gois, em O GLOBO. Um dos inferninhos mais famosos da cidade, o clube da Rua Ministro Viveiros Castro foi imortalizado numa das canções do cantor Cazuza e recebeu os músicos do U2, em 1998. A Barbarella é mais um dos estabelecimentos que não sobreviveram à Covid-19.

"Tal decisão foi tomada devido aos imensos danos causados pela pandemia e pela crescente dificuldade de se manter um negócio do nosso ramo tanto antes, agora e depois da pandemia", informa a nota de esclarecimento publicada no Instagram da boate, que lamenta o anúncio: "Aqui o nosso pesar e o nosso muito obrigado", conclui.

No Google, o comunicado faz um agradecimento: "Agradecemos a todos os colaboradores, do passado e do presente, que ajudaram a construir esta empresa, tornando-a um ícone na noite carioca. Agradecemos também aos prezados frequentadores e inestimáveis clientes, que nestes 44 anos de existência tivemos o imensurável prazer de conhecer e atender. A todos, nossa final reverência."

A boate havia suspendido as atividades no dia 16 de março deste ano, logo após o início da pandemia de coronavírus e seguindo as medidas determinadas pelas autoridades de saúde responsáveis.

Boate foi imortalizada por Cazuza e visitada pelo U2

Sem um reluzente letreiro em néon e com uma fachada bem mais discreta, a Barbarella seguia como um dos poucos remanescentes redutos do entretenimento adulto no Rio de Janeiro. Nos últimos anos, clientes lamentavam o fim dos shows grandiosos de samba e dos espetáculos eróticos, restando apenas a presença de go go girls.

Na música "Só as mães são felizes", Cazuza canta: "Já frequentei grandes festas nos endereços mais quentes / Tomei champanhe e cicuta com comentários inteligentes mais tristes que os de uma puta no Barbarella às 15 pras 7". A canção, de 1985, cita ainda outras famosas festas e boates da região, como a Val Improviso e a Alaska.

Em 1998, quando estiveram no Rio para o caótico show no Autódromo de Jacarepaguá, na Zona Oeste, os músicos da banda irlandesa U2 estiveram na Barbarella. Na ocasião, cinco dançarinas deramum show particular para o baterista Larry Mullen Jr. ao som de "New year's day". Ele estava acompanhando de amigos e, ao sair pelos fundos da boate, enquanto fãsesperavam na porta da frente, houve tumulto.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário